Atreyu – The Crimson

Novembro 13, 2008

Quem gosta de hardcore ??

Anúncios

The Verve – Love Is Noise

Novembro 5, 2008

Dei por mim anteontem a prestar atenção  a este tema . É comercial . É catchy . Triste ? Não, não acho que seja essa a palavra . Tem um tom mais melancólico, isso sim . Isso é justificado. Se prestarmos atenção á letra ( e ao mesmo ao titulo da música ) ficamos logo a perceber porquê . E até concordo um bocado com o titulo … Por vezes , “Love is noise” – um “barulho”, que nos deixa confusos ( IMO ), surdos , cegos até – Aliás poder-se-iam arranjar incontáveis titulos – “Love is darkness” ( naaah, é melhor deixar estar o titulo original, para não estragar ) . Outra interpretação poderá estar relacionada com a própria música , ou seja, a representação do amor através de simples notas musicais , acompanhasdas de uma batida pop ( neste caso ) . Vá , oiçam a música e dêem-me a vossa opinião 🙂


She’s a Maniac

Outubro 8, 2008

Hoje ao passar pelo canal Hollywood dou comigo a ver o “American Pie – O Casamento” . Apanho uma cena em que está o Stiff num bar gay . Ele é completamentamente “enchovalhado” e na sequência do “enchovalhamento” começa a dançar . Ouvi a musica e fiquei naquela : “Hey, conheço isto de algum lado !!” . E de facto conhecia . O álbum “Premonition” dos gregos Firewind tem uma cover  desta música . Em baixo apresento o original ( do filme “Flashdance” de ’83 ) e a cover . É óbvio que a cover me diz mais …

Original

Cover dos Firewind – Premonition ( 2008 )


Novo instrumento

Setembro 12, 2008

Bom, finalmente decidi-me … Vou encomendar uma Ibanez Prestige RG1570 . É uma guitarra de construção nipónica, possui uma ponte EDGE PRO, um braço Wizard II de 5 peças, pickup Ibanez V8 na ponte e um V7 junto ao  braço . Além disso possui um Seymour Duncan ao centro . A substituição dos pickups é um assunto a pensar mais tarde 🙂 Mas por agora o que me interessa mesmo é tê-la nas mãos, algo que só irá acontecer daqui a um mês 😦 De facto, a Ibanez ainda não conseguiu resolver o seu problema de distribuição no mercado nacional …


Chá branco :|

Agosto 23, 2008

Parece que aqui o mano gosta é de chá branco . Posso dizer seguramente que não . Pelo contrário . Chá preto sim, isso domina. Mas ao que parece anda tudo trocado (ou eu ou as outras pessoas, agora saber quem realmente , isso já é outra história ).

Bem, deixo aqui então o resultado do teste que fiz. Façam o teste e digam-me de vossa justiça, se concordam ou não 🙂


You Are White Tea


You are quite delicate and very sensitive. You are easily overwhelmed.

Peace and serenity are important to you. You shy away from intensity of any sort.

You appreciate a simple quiet moment. You can relax easily without feeling bored.

You take the time to enjoy life. Even when things are busy, you make the time.

What Kind of Tea Are You?

Vibrasphere – Manzanilla

Julho 24, 2008

A minha primeira incursão pelo trance, chillout , ou aquilo que lhe queiram chamar, acompanhado por umas animações fornecidas pela NASA e ESA . Bom vid. e boa música – excelentes para o relax.

Vibrasphere – Manzanilla, do álbum Lime Structure


No rescaldo da festa

Julho 20, 2008

O dia foi longo . Por volta das 16h fui buscar os Spektrum, uma banda da Batalha/Leiria que tem um excelente som e que marca também pela sua simpatia e disponiblidade que mostraram relativamente a nós para poderem tocar mesmo depois de terem tido concertos em datas anteriores. A tarde pautou-se por montar o ” estaminé”, nomeadamente baterias, e amplicação. Um excelente convivio entre os músicos, partilha de informações relativamente a alguns aspectos técnicos dos instrumentos em si, bem como as experiências pelas quais cada banda passa . Tudo isto acompanhado de boa música, cerveja e snooker 😀 Ás 18h iniciou-se realmente o soundcheck, com os Underneath a debitarem uma ou duas malhar para habituar os ouvidos dos mais desabituados. Por volta das 21h30 foi tempo de ir jantar ao restaurante “O Painél” . Tendo como ementa, o belo do frango assado, com batatas e salada, vários assuntos dominaram a refeição . A discussão “farmacêutica” entre membros de Underneath, a partilha de experiências entre Spektrum e respectivas bandas, o jogo do Benfica – Estoril, etç etç etç .Por volta das 23h foi tempo de nos pormos a caminho para ajustar o som ao nosso gosto, para dar inicio ás hostilidades. Entre afinações e desafinações, começamos com o tema “Secret of the Sign”, seguido posteriormente para o tema Mystic Planet, onde se desenrolou o primeiro desaire da actuação com o fenómeno “Corda Partida” do guitarrista Hugo . No repert

ório constavam ainda os temas “March to the Sky” , “Eyes of the Night” , “The Crow ” , “Raise me”, “Battle ” e uma cover dos Black Sabbath do tema “Iron Man” . Após tocarmos o tema “March to the Sky” na perfeição, foi tempo de libertar os corvos com o tema “The Crow” . A música corre bem até ao final, onde se parte novamente uma corda . Entre trocar e não trocar, a banda decide mostrar algum do  trabalho executado, nomeadamente com instrumentais, temas que não eram trabalhados há já algum tempo . Esta situação causou uma diminuição considerável no tempo de actuação, restando-nos a nós tocar os temas “Raise Me” e “Battle” , nos quais não foram observadas quaisquer falhas . Apesar dos dois “azares” ( não sei se esta é de facto a palavra mais indicada…) o concerto correu bem, e a opinião foi unânime por parte do parco público presente. Como alguém diz ou disse, aqui em Ourém não vale a pena organizar concertos . Principalmente nesta altura do ano . Esta situação deixa-nos a todos um pouco embaraçados, já que são encetados esforços para se conseguir uma noite decente ( em relação á qualidade de som que se pode produzir, contribuindo para a melhoria do concerto em si ) , resultando isto na não comparecência do público, mesmo o público que “parecia” importante e que de certa forma vei reiterar e ideia de que “só são precisos os que cá estam” … se bem que esta ideia não funciona muito bem em empresas com fins lucrativos como é o caso do Azenha bar e outros. Foi uma noite que resultou  por causa da camaradagem entre as várias bandas e o sentimento de entreajuda que se viveu . Nada a apontar nos concertos seguintes : The Spektrum e Sacrilegion estiveram de igual para igual, praticando mais ou menos o mesmo som, conseguiram passar a mensagem de forma expressiva  . Vai daqui um abraço ao “rapaz do som” ( LOL ) pelo bom trabalho desenvolvido e pela atenção mostrada para proporcionar uma boa experiência ás bandas . A noite terminou com Underneath . Um grande concerto sem dúvida . Não é possivel excluir nenhum dos músicos sendo q na totalidade todos tiveram uma excelente prestação.

Quando a “Silly Season” terminar logo se haverá de pensar em novos concertos na zona , desta feita com novo sangue, com outras bandas …De qualquer das formas vou dando novidades aqui no blog. Assim que conseguir arranjar as fotos, arranjarei maneira de as colocar aqui  para partilhar um pouco o espirito da noite 🙂